Creation Science News


Descoberto “Grand Canyon” debaixo do gelo na Antártica
17/01/2014, 5:50 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

Antártica (Foto: NASA Goddard Space Flight Center)

Antártica (Foto: NASA Goddard Space Flight Center)

Na era dos satélites e da globalização, algumas pessoas podem achar que não há mais montanhas a serem descobertas. Uma equipe de pesquisadores do Reino Unido, no entanto, mostrou que isso não é verdade: eles descobriram um enorme vale de dimensões parecidas com as do famoso Grand Canyon dos Estados Unidos. Como uma formação rochosa como essa levou tanto tempo para ser descoberta? Simples: ela está perdida no gelo do Polo Sul. Debaixo da camada de gelo do oeste da Antártica, os pesquisadores encontraram uma antiga cordilheira congelada com um imenso vale de mais de três quilômetros de profundidade e 300 quilômetros de comprimento. O chão desse “Grande Canyon” subglacial está a cerca de dois mil quilômetros abaixo do nível do mar. Formada há alguns milhões de anos, a região descoberta é possivelmente o “berço” do Manto de Gelo da Antártica Ocidental. Os detalhes da descoberta foram publicados na edição deste mês da revista científica Geological Society of America Bulletin (2).

O vale foi encontrado durante pesquisas para mapear as áreas submersas da Antártica. Os pesquisadores usaram radares com tecnologia para penetrar no gelo e dados de observações por satélites. Depois, em viagens a Antártica, usaram aeronaves e veículos para transporte na neve para conseguir mapear toda a extensão do vale.

A descoberta deverá ter papel fundamental nas pesquisas sobre o clima no futuro. A Antártica Ocidental é a parte do Polo Sul que está mais vulnerável aos efeitos das mudanças climáticas. Apesar da maior parte da Antártica não estar derretendo, a porção ocidental viu a temperatura aumentar: o derretimento de gelo na península subiu quase dez vezes. Conhecer a geografia submersa pode ser fundamental para entender como será o comportamento da região em um clima mais quente.

Mas o mais importante é que a descoberta mostra que ainda temos muito a aprender sobre a Terra. Ao menos foi essa a mensagem que o autor principal do estudo, o pesquisador Neil Ross, da Universidade de Newcastle, passou em mensagem divulgada pela universidade (1). “Para mim, a descoberta mostra o quão pouco nós conhecemos do nosso próprio planeta. A exploração de locais escondidos e anteriormente desconhecidos ainda é possível nos dias de hoje, e é extremamente empolgante”. […]

Época

Referência:

1. “What lies beneath – scientists discover giant trench under Antarctic Ice” (Newcastle University)

2. N. Ross, T. A. Jordan, R. G. Bingham, H. F. J. Corr, F. Ferraccioli, A. Le Brocq, D. M. Rippin, A. P. Wright, M. J. Siegert “The Ellsworth Subglacial Highlands: Inception and retreat of the West Antarctic Ice Sheet”  (Geological Society of America Bulletin, 2013; DOI: 10.1130/B30794.1)

Abstract

Antarctic subglacial highlands are where the Antarctic ice sheets first developed and the “pinning points” where retreat phases of the marine-based sectors of the ice sheet are impeded. Due to low ice velocities and limited present-day change in the ice-sheet interior, West Antarctic subglacial highlands have been overlooked for detailed study. These regions have considerable potential, however, for establishing the locations from which the West Antarctic Ice Sheet originated and grew, and its likely response to warming climates. Here, we characterize the subglacial morphology of the Ellsworth subglacial highlands, West Antarctica, from ground-based and aerogeophysical radio-echo sounding (RES) surveys and the Moderate-Resolution Imaging Spectroradiometer (MODIS) mosaic of Antarctica. We document well-preserved classic landforms associated with restricted, dynamic, marine-proximal alpine glaciation, with hanging tributary valleys feeding a significant overdeepened trough (the Ellsworth Trough) cut by valley (tidewater) glaciers. Fjord-mouth threshold bars down-ice of two overdeepenings define both the northwest and southeast termini of paleo-outlet glaciers, which cut and occupied the Ellsworth Trough. Satellite imagery reveals numerous other glaciated valleys, terminating at the edge of deep former marine basins (e.g., Bentley subglacial trench), throughout the Ellsworth subglacial highlands. These geomorphic data can be used to reconstruct the glaciology of the ice masses that formed the proto”West Antarctic Ice Sheet. The landscape predates the present ice sheet and was formed by a small dynamic ice field(s), similar to those of the present-day Antarctic Peninsula, at times when the marine sections of the West Antarctic Ice Sheet were absent. The Ellsworth subglacial highlands represent a major seeding center of the paleo”West Antarctic Ice Sheet, and its margins represent the pinning point at which future retreat of the marine-based West Antarctic Ice Sheet would be arrested.


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: