Creation Science News


Asas de morcegos inspiram projetos para aviões
24/06/2011, 5:59 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

Aviões que voam como morcegos estão mais perto de tornar-se realidade

Cientistas americanos chegaram à conclusão que os pelos dispersos que estes mamíferos voadores têm nas asas funcionam como sensores informando-os sobre os fluxos de ar, o que lhes permite adequar o voo de acordo com as suas características. O próximo passo é criar sensores sintéticos equivalentes que possam ser utilizados em aviões.

Um conjunto de investigadores americanos publicou recentemente na revista Proceedings of the National Academy of Sciences um estudo que se apresenta como uma importante contribuição para aproximar o Homem da sua “velha” pretensão de construir aviões que voem como morcegos, mestres da arte de voar.

A equipa de biólogos das Universidades de Marylande de Ohio conseguiu, através de um conjunto de experiências realizadas em laboratório compreender qual a função dos pelos dispersos que os morcegos têm nas asas, que são invulgares porque estão ligados a receptores sensoriais, e que se suspeitava que pudessem ser importantes para o voo.

Os resultados de Susanne Sterbing-D’Angelo e colegas revelaram que os pelos em questão funcionam como sensores dos fluxos de ar, permitindo-lhes adequar os padrões de voo de acordo com as suas características, com a sua remoção a impedir os animais de alterar rapidamente a direção e a torná-los mais lentos.

Compreender como funcionam estes pelos é o primeiro passo para criar, recorrendo à engenharia, sensores artificiais equivalentes que melhorem as faculdades de voo dos aviões.

As experiências deste estudo foram realizadas com duas espécies: Epesicus fuscus e Carollia perspicillata.

Fonte: Naturlink

Referências:

1. Susanne Sterbing-D’Angelo, Mohit Chadha, Chen Chiu, Ben Falk, Wei Xian, Janna Barcelo, John M. Zook and Cynthia F. Moss “Bat wing sensors support flight control” (PNAS – Proceedings of the National Academy of Sciences, May 25, 2011, DOI: 10.1073/pnas.1018740108)   (Em PDF)

2. “Wing Hairs Turn Bats Into Aerial Aces” (ScienceNOW, 20 June 2011)

3. “Wing hairs help to keep bats in the air” (Nature, 20 June 2011, doi: 10.1038/news.2011.376)

———————————————————

COMENTÁRIO NOSSO:

Por Daniel F. Zordan

O melhor da nossa engenharia esta procurando tecnologias “designer” na natureza para poder criar, projetar, aperfeiçoar: aviões, helicópteros, navios, carros etc.

De acordo com os pesquisadores, desenvolver sensores artificiais que imitam estes sensores em morcegos, poderia melhorar a qualidade de voo nos aviões.

O mais incrível é o que afirmam os naturalistas;

Morcegos: resultado de milhões de anos + mutações + seleção natural + “ACASO”;

Aviões: resultado de estudos + projetos + testes + “mente inteligente”.

O morcego que é muito mais complexo que o próprio ônibus espacial é afirmado ser obra do “ACASO”. E o avião que teve toda sua inspiração nas aves, e que não chega nem aos pés do voo das mesmas, é dita ser obra de uma mente inteligente.

Como olhar para algo muito mais complexo (morcego) e dizer que é apenas “OBRA DO ACASO” e não de uma mente inteligente? –  O morcego foi projetado por DEUS! – Ele é o autor da complexidade, beleza, harmonia que presenciamos na natureza.

“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.” Salmo 19:1

The peace of God


Deixe um comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: