Creation Science News


Imagens reforçam tese de que cobras tinham patas no passado
11/02/2011, 9:46 PM
Filed under: :::::: PUBLICAÇÕES: A - Z ::::::

Imagens tridimensionais de raios-X ultranítidas de um fóssil de 95 milhões de anos, encontrado no Líbano, lançaram luz sobre como as cobras evoluíram de lagartos com patas, anunciaram cientistas em um estudo publicado no “Jornal de Paleontologia de Vertebrados”, na quarta-feira. [“95 Milhões de anos” segundo a cronologia evolucionistas.]

Perna da cobra fossilizada "Eupodophis desouensi"

O fóssil de Eupodophis desouensi, medindo 50 centímetros, revela uma pequena pata posterior presa à pélvis do animal. Ela estava enterrada debaixo de seu corpo e só se tornou visível graças à nova técnica.

A descoberta reforça teorias segundo as quais as cobras teriam evoluído dos lagartos, até que finalmente perderam os membros totalmente, após terem sido bem-sucedidas em habitats onde rastejar ou deslizar lhes deu uma vantagem. [Discordo dessa interpretação. A “descoberta” não reforça a teoria de que as “cobras teriam evoluído dos lagartos”, mas sim, que as cobras tinham patas no passado. O livro de Gênesis no verso 3 : 14 (escrito há 3500 anos) afirma que as cobras no passado possuíam patas: “Então o SENHOR Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, maldita serás mais que toda a fera, e mais que todos os animais do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida.”]

 

 

As novas imagens mostram que o E. desouensi, neste momento do período Cretáceo, estava no meio do caminho desta mudança.

A pata residual aparece dobrada em sua articulação, com vestígios de ossos do pé ou de dedos.

“Fósseis como este são a chave para compreendermos a origem das cobras porque eles mostram uma etapa intermediária do desenvolvimento” destes animais, explicou Alexandra Houssaye, paleobióloga do Centro Nacional de Pesquisas Científicas francês (CNRS, na sigla em francês).

A imagem foi obtida mediante uma técnica denominada laminografia de síncrotron, que usa raios X de alta resolução para sondar abaixo da superfície e identificar detalhes de até alguns milionésimos de metros de comprimento.

Imagens tridimensionais dão novos indícios de evolução

Foi feita uma rotação de 360 graus no fóssil enquanto este foi escaneado, o que forneceu uma imagem tridimensional similar à popular tomografia computadorizada empregada em hospitais.

O E. desouensi foi descoberto há dez anos e causou comoção na época porque uma pequena pata traseira com apenas dois centímetros de comprimento foi encontrada na superfície do fóssil. Especialistas ponderaram, durante muito tempo, se uma segunda pata traseira poderia ser vista.

Não há vestígios de patas dianteiras, o que indica que estes membros já tinham sido eliminados, sob pressão da evolução. [Ou sob ordem de Deus! – Será isso prova de Evolução ou Involução? Perder não é mesmo que adquirir! O que presenciamos é perda e não ganho de informações genéticas.]

[Texto em verde e entre colchetes: comentários de Daniel F. Zordan]

Fonte: Folha

Referências:

1 – Three-dimensional pelvis and limb anatomy of the Cenomanian hind-limbed snake Eupodophis descouensi (Squamata, Ophidia) revealed by synchrotron-radiation computed laminography (Journal of Vertebrate Paleontology / DOI: 10.1080/02724634.2011.539650 / Volume 31, Issue 1 January 2011 , pages 2 – 7) (Artigo em PDF)

2 – “X-rays reveal hidden leg of an ancient snake”, (Centre national de la recherche scientifique, 8 February 2011)

 


3 Comentários so far
Deixe um comentário

Não sei mais de nada!
Teria que ressuscitar o meu pai, médico anatomista, mas a minha memória dos 12 anos de idade não aceito que esteja enganada.
Lembro-me perfeitamente de uma manhã após grande incêndio na nossa fazenda, uma profusão de cascavéis fugitivas à beira de nossa casa.
Matamos muitas.
Uma ou outra tinha quatro pernas disfuncionais, com dedos e unhas, outras duas posteriores, apenas.
Impressionante é que o meu pai não se impressionou, disse ser normal, que cobras descendiam de lagartos.
Pelo que vejo hoje discutir-se, sou testemunha ocular da origem das serpentes, e teria ficado famoso, caso meu pai tivesse se espantado, eu teria guardado as amostras.
Alguém aí poderia me apoiar, ou refutar?
Gostaria de ouvir opiniões abalizadas sobre as cobras e sobre memória.

Comentário por Reinaldo Ferreira de Faria Tavares

Reinaldo,
certamente a maldição de Deus quebrou as pernas das serpentes, pois passaram a rastejar.
Se fosse vantagem adaptativa como poderiam perder um membro tão importante para defesa e ataque??
Na verdade ficaram mais expostas a predadores, e com pouca mobilidade para caça.

E como a evolução poderia “saber” que seria melhor o rastejamento?

Por que outros animais não perderam as pernas então? se fosse vantagem adaptativa?

Comentário por Cícero

Reinaldo,
certamente Deus quebrou as pernas das serpentes, pois passaram a restejar.
Se fosse vantagem adaptativa não perderiam um membro tão importante para defesa e ataque. Na verdade ficaram mais expostas a predadores e com pouco mobilidade à caça.

E como a evolução poderia “saber” que rastejar seria melhor?

Então vários outros animais teriam perdido as pernas também!
se fosse vantagem adaptativa.

Comentário por Cícero




Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: